DE NOVO, DE OLHO NO ANO NOVO

Correndo tudo como previsto, em 2019 deveremos chegar ao 39º título publicado em livro, desde 1981. Sabemos que quantidade não quer dizer necessariamente qualidade, mas, cá entre nós, é quase um por ano!

As novidades, já nos respectivos prelos, são: a coletânea de crônicas “Meu Lote”, organizada pelo polivalente amigo Marcus Fernando (Numa Editora); o romance “Agora serve o coração”, bem-humorada ficção mágico-realista ambientada na Baixada Fluminense (Record) e “Ifá Lucumí, a tradição resgatada”, sobre a prática oracular dos babalaôs, os “pais do segredo”, desaparecida no Brasil desde a década de 1930 e retomada no Brasil, no início dos anos 90, com fixação de sacerdotes cubanos no Rio de Janeiro. Sobre este livro, escreveu Cristina Warth, dirigente da Pallas Editora, fundada por seu pai, o saudoso Antônio Carlos Fernandes: Veja mais

Já nas livrarias o NOVO ROMANCE DE NEI LOPES: O Preto que Falava Iídiche

O encontro de duas comunidades degredadas no Rio da primeira metade do século XX: negros e judeus. O mais ambicioso romance de Nei Lopes.

A partir do relacionamento apaixonado, fortuito e proibido do preto inteligentíssimo Nozinho, que falava até iídiche, com a bela e branca judia Rachel, o romance enlaça as vivências e memórias de suas origens com as de outro grupo historicamente marcado pelo racismo, o das comunidades judaicas. E o faz, como sempre, associando leveza e humor a reflexões profundas sobre arte, religiosidade e costumes. Da Praça Onze carioca ao East River nova-iorquino, passando pela Bahia, Porto Alegre e a distante Etiópia, o autor nos conduz por uma viagem fantástica. (Texto Editora Record) Veja mais