DE NOVO, DE OLHO NO ANO NOVO

Correndo tudo como previsto, em 2019 deveremos chegar ao 39º título publicado em livro, desde 1981. Sabemos que quantidade não quer dizer necessariamente qualidade, mas, cá entre nós, é quase um por ano!

As novidades, já nos respectivos prelos, são: a coletânea de crônicas “Meu Lote”, organizada pelo polivalente amigo Marcus Fernando (Numa Editora); o romance “Agora serve o coração”, bem-humorada ficção mágico-realista ambientada na Baixada Fluminense (Record) e “Ifá Lucumí, a tradição resgatada”, sobre a prática oracular dos babalaôs, os “pais do segredo”, desaparecida no Brasil desde a década de 1930 e retomada no Brasil, no início dos anos 90, com fixação de sacerdotes cubanos no Rio de Janeiro. Sobre este livro, escreveu Cristina Warth, dirigente da Pallas Editora, fundada por seu pai, o saudoso Antônio Carlos Fernandes: Veja mais

NEI LOPES VÊ O SAMBA SEM REPRESENTAÇÃO E DESFILES COM A ESTÉTICA DA ELITE

Foto Maria Ana Krack

Jornal GGN
Por Augusto Diniz
SEX, 30/11/2018 – 12:12

No dia 2 de dezembro celebra-se o samba. Poucos brasileiros, como Nei Lopes, definem com propriedade a palavra no seu sentido musical e no seu contexto histórico de manifestação popular de raízes africanas.

Nei Lopes tem quase 40 livros publicados, desde contos e crônicas a profundos trabalhos de pesquisa da cultura negra, além de uma dezena de registros fonográficos autorais – o samba ocupa papel central nesse patrimônio. São trabalhos densos e ao mesmo tempo prazerosos, de uma contribuição rara à compreensão desse País – não sei se um terço dos membros da Academia Brasileira de Letras construiu tamanho legado. Veja mais