OUTRAS ARTES

O DESENHISTA NEI LOPES

“Das brincadeiras de infância, desenhar na areia fina, branca e muito limpa, em frente à própria casa era a que mais lhe dava prazer. Daí, a descobrir o talento de reproduzir e recriar as imagens que via ao seu derredor foi um pulo. Da areia para o papel, do grafite ao lápis de cor, às tintas guache, ao nanquim, do papel à tela. E Nei foi descobrindo, cada vez mais, a necessidade de expressar através das linguagens artísticas. “Desenhos eu sempre fiz direitinho, como aliás quase todo mundo lá em casa”. (Oswaldo Faustino.  NEI LOPES. São Paulo, Selo Negro, 2009: 25).

O desenhista Nei Lopes

  • Aniceto do Império Título da Obra: FIDELIDADE PARTIDÁRIA

  • Mas antes, já tinha – “pra ganhar um trocado” – desenhado a capa do LP “Candeia, samba de roda”, graças a uma “colher de chá” de seu amigo Walney de Almeida, designer e pintor.

  • Mulato Velho – 1992

  • Em 1987, Nei publicava, pela Editora CCM do amigo Carlos Cordeiro, o livro “Casos crioulos”, para o qual desenhou capa e criou 5 ilustrações.

  • Sonho de Consumo - 2013

  • Fala, Mangueira!

  • Clementina

  • Nei Lopes – Bar da Dona Maria / 1997

  • Nei Lopes — Ilustrações do livro “Candeia, luz da inspiração”, de João Baptista M. Vargens. Martins Fontes/Funarte / 1987

  • Nei Lopes — Ilustrações do livro “Candeia, luz da inspiração”, de João Baptista M. Vargens. Martins Fontes/Funarte / 1987

  • Baixo-Cuba