IVAN ALVES FILHO LANÇA LIVRO COM PREFÁCIO DE NEI LOPES

Prefácio:

Desvendando os Invisíveis

No século XIX, promulgada a Lei Áurea, as elites brasileiras empenharam-se em construir a nação europeizada que sempre pretenderam, na qual a Cultura africana e mesmo a presença negra eram indesejadas. Apesar disso, os descendentes dos antigos escravos buscaram autoafirmação e inclusão social através de suas práticas culturais. E, assim, malgrado o pessimismo de um José Veríssimo, por exemplo, sobre um país de “selvagens inferiores” e “negros boçais e degenerados”; apesar disso, em 1902 um presidente hoje reconhecido em várias fontes como afrodescendente assumia a Presidência da República – embora tenha sido exatamente sob esse afrodescendente que o Brasil começou a pôr em prática, a partir de sua capital, um programa cultural visando europeizar-se de vez. Veja mais

NEI LOPES NO ‘CONVERSA COM BIAL’!

Nei Lopes comentou parte de seu obra no ‘Conversa com o Bial’ – Foto TV Globo

JORNALISTA DEFENDE CANDIDATURA DE NEI LOPES PARA A ABL: ‘PELOS SAMBAS QUE ELE FEZ’

Escritor comentou sua obra e revelou temas de seus próximos livros no ‘Conversa Com Bial’

O sambista, enciclopedista, romancista, poeta e ensaísta Nei Lopes comentou parte de sua obra no Conversa com Bial desta segunda-feira, 15/10. Em 46 anos de carreira, o compositor lançou nove discos e publicou 38 livros. Vencedor do Prêmio Jabuti em 2016 na categoria não ficção e dono de dois títulos honoris causa, o artista lembrou suas parcerias com Wilson Moreira e Candeia durante o programa, e foi bastante elogiado pelo jornalista Hugo Sukman. Para o escritor, o carioca – de 76 anos – merecia ter uma cadeira na Academia Brasileira de Letras: Veja mais

O SAMBA É PRIMO DO JAZZ

Como diz e canta nossa comadre Alcione Nazareth, “o samba é primo do Jazz”. Por isso, fomos até o Teatro Armando Gonzaga, em Hermes (Marechal é do outro lado) falar sobre o assunto no último dia 25/05, para uma plateia de estudantes da rede municipal.

O lance era apresentar e explicar um pouquinho o excelente documentário “Samba & Jazz” do diretor Jefferson Mello, que busca estabelecer as semelhanças os ambientes de nascimento da grande expressão musical afro-americana (Nova Orleans) e do samba carioca. Veja mais