PELA CRIAÇÃO DO MUSEU NACIONAL DO VALONGO – MEMORIAL DA DIÁSPORA AFRICANA


Nós, pesquisadores da história dos africanos escravizados no Brasil e de seus descendentes, no ensejo da titulação do Sítio Arqueológico Cais do Valongo a Patrimônio Mundial da Unesco, propomos que seja criado e instalado no prédio Docas Pedro II, construído ao lado do Sítio pelo engenheiro negro André Rebouças sem mão-de-obra escrava em 1871, o Museu Nacional do Valongo – Memorial da Diáspora Africana, com objetivo de apresentar a história do tráfico atlântico de escravos e dos africanos escravizados no Brasil e nas Américas, de dar visibilidade às suas realizações e de estabelecer um diálogo efetivo com os demais países envolvidos com a Diáspora Africana nas Américas e na África sobre o tema.

Alberto da Costa e Silva – Historiador e Diplomata, membro da Academia Brasileira de Letras e Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro – Rio de Janeiro

Alcione Amós – Curadora do Smithsonian Institution Anacostia Community Museum – Washington/DC – Estados Unidos

Álvaro Pereira do Nascimento – Professor do Departamento de História da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) – Rio de Janeiro

Amilcar Araujo Pereira – Professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – Rio de Janeiro

Ana Lucia Araújo – Professora do Departamento de História da Howard University, Washington DC – Estados Unidos da América

Ana Maria Mauad – Professora Departamento de História da Universidade Federal Fluminense (UFF) pesquisadora do Laboratório de História Oral e Imagem da UFF.

Beatriz Mamigonian – Professora do Departamento de História da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Carlos Eugênio Líbano Soares – Professor do Departamento História da Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Carolina Perpétuo Corrêa – Doutoranda em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Clarissa Diniz – Curadora do Museu de Arte do Rio (MAR) – Rio de Janeiro

Claudia Mortari – Professora de História da África da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Claudio Honorato – Doutorando em História pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

Clícea Maria Augusto de Miranda – Doutora em História Social pela Universidade de São Paulo (USP)

Daniela Yabeta – Historiadora e Pós-Doutoranda em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF) – Rio de Janeiro

Darién J. Davis – Professor do Departamento de História da Middlebury College Vermont (USA)

Denise Vieira Demétrio – Doutora em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e pesquisadora do Laboratório de História Oral e Imagem da UFF

Eduardo Silva – Historiador e pesquisador da Casa de Rui Barbosa – Rio de Janeiro

Elisa Larkin Nascimento – Pesquisadora do Instituto de Pesquisas e Estudos Afro-Brasileiros (IPEAFRO). Rio de Janeiro

Francisco Aimara Carvalho Ribeiro – Doutor em História pela Universidade Federal Fluminense e professor de História da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro

Giselle dos Anjos Santos – Pesquisadora do Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (CEERT), São Paulo

Hélio Santos – Presidente do Conselho Deliberativo do Fundo Baobá, São Paulo

Jaime Rodrigues – Professor do Departamento de História da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)

Januário Garcia – Fotógrafo – Presidente do Instituto Januário Garcia: Documentos e Fotografias de Matrizes Africanas

João José Reis – Professor do Departamento de História da Universidade Federal da Bahia (UPBA)

Joel Henrique Cardoso – Pesquisador em Sistemas Agroflorestais pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Ceará

José Jorge Siqueira – Professor do Departamento de História da Universidade Severino Sombra, Rio de Janeiro

José Murilo de Carvalho – Cientista político e historiador. Professor emérito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e membro da Academia Brasileira de Letras

José Simões de Belmont Pessôa – Professor da Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal Fluminense (UFF), Rio de Janeiro

José Rivair – Coordenador da Rede Multidisciplinar de Estudos Africanos do ILEA, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Juciene Ricarte Apolinário – Professora da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)

Kabengele Munanga – Professor do Departamento de Antropologia da Universidade de São Paulo (USP)

Keila Grinberg – Professora do Departamento de História da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

Lelette Coutto – Ex- titular da Coordenadoria Especial de Promoção das Políticas de Igualdade Racial (CEPPIR), Rio de Janeiro

Lilia Moritz Schwarcz – Professora do Departamento de Antropologia da Universidade de São Paulo (USP)

Luciano R. A. Figueiredo – Professor do Departamento de História da Universidade Federal Fluminense (UFF) – Rio de Janeiro

Luis Nicolau Parés – Professor do Departamento de Antropologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Luiz Carlos Semog – Secretário Executivo do Centro de Articulação de Populações Marginalizadas – CEAP , Rio de Janeiro

Maria Helena Pereira Toledo Machado – Professora do Departamento de História da Universidade de São Paulo (USP)

Marina Berthet – Professora de História da África da Universidade Federal Fluminense (UFF) – Rio de Janeiro

Matthias Assunção – Professor do Departamento de História da Universidade de Essex – Inglaterra

Milton Guran – Antropólogo – Pesquisador do LABHOI – Laboratório de História Oral e Imagem da Universidade Federal Fluminense – Membro do Comitê Científico Internacional do Projeto Rota do Escravo – Resistência, Liberdade, Herança da UNESCO

Monica Lima e Souza – Professora do Departamento de História e Coordenadora do LEÁFRICA – Laboratório de Estudos Africanos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Nei Lopes – Escritor, autor entre outras obras do “Dicionário da História da África”, Ed. Autêntica, 2017

Nilma Teixeira Accioli – Historiadora e Museóloga – Doutoranda em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Olabiyi Yai – Linguista, consultor da UNESCO para políticas de cultura e linguagem nos seguintes países africanos: Benin, Burkina Faso, Nigéria, Togo e Moçambique, nos anos 1970 e 1980 e Presidente do Conselho Executivo da UNESCO de Novembro de 2007 a Novembro de 2009, aposentou-se como Diretor do Departamento de Línguas e Literatura Afro-asiática da Universidade da Flórida (USA)

Paulo Knauss de Mendonça– Professor do Departamento de História da Universidade Federal Fluminense e Diretor Museu Histórico Nacional, Rio de Janeiro

Rafael Cardoso – Escritor e historiador da arte – Professor do Instituto de Artes da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Rafael Sanzio Araújo dos Anjos – Professor do Departamento de Geografia da Universidade de Brasília (UnB) e Coordenador do Projeto Geografia Afrobrasileira

Renato Ferreira – Advogado especialista em Direito Humanos e Relações étnico-raciais, Brasília

Renato Nogueira – Professor do Departamento de História da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)

Rodrigo de Azevedo Weimer – Historiador da Fundação de Economia e Estatística do Rio Grande do Sul

Roquinaldo Ferreira – Vasco da Gama Associate Professor, Brown University (USA)

Rosemberg Ferracini – Professor do Departamento de Geografia da Universidade Federal do Tocantins (UFT) Campus Porto Nacional

Sandro Silva – Professor do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Tania Andrade Lima – Professora do Departamento de Antropologia do Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Thiago Campos Pessoa – Doutor em História Social pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e pesquisador do Laboratório de História Oral e Imagem da UFF

Vanicléia Silva Santos – Professora de História da África e Diretora do Centro de Estudos Africanos, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Este abaixo assinado, de inciativa do representante brasileiro no Comitê Científico Internacional do Projeto Rota do Escravo – Liberdade, Resistência, Herança da UNESCO, antropólogo Milton Guran, circulou de 19 a 31 de julho de 2017, tendo ainda recebido uma moção de apoio da Assembleia Nacional de História, ANPUH, reunida em seu 29º Simpósio Nacional na UnB – Universidade de Brasília de 24 a 28 de julho de 2017.

Em 31 de julho de 2017, foi encaminhado por e-mail para o gabinete do Ministro da Cultura, Sr. Sérgio Sá Leitão.


Uma ideia sobre “PELA CRIAÇÃO DO MUSEU NACIONAL DO VALONGO – MEMORIAL DA DIÁSPORA AFRICANA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *