‘BILAC VÊ ESTRELAS’ – Teatro Sesc-Ginástico – Estréia, quinta-feira, 8 de janeiro

“Nei Lopes compôs xotes, valsas, lundus, quadrilhas francesas, maxixes, fados, modinhas e até ária de ópera”

“Nei Lopes compôs xotes, valsas, lundus, quadrilhas francesas, maxixes, fados, modinhas e até ária de ópera”

Uma ode ao Rio de Janeiro, uma viagem pelas suas histórias e ruas no início da reforma urbanística de Pereira Passos. Assim pode ser descrito o livro Bilac vê estrelas, de Ruy Castro, que se transforma em comédia musical pelas mãos de Heloisa Seixas e Julia Romeu, com direção de João Fonseca. Para assinar a trilha, um carioca acima de qualquer suspeita: Nei Lopes, que compôs nada menos do que 17 músicas inéditas especialmente para o espetáculo, que estréia no dia 09 de janeiro, no SESC Ginástico.

A história se passa no início do século XX, em plena Belle Epoque carioca, e apresenta personagens históricos como o poeta Olavo Bilac (André Dias) e o jornalista José do Patrocínio (Sergio Menezes), em uma trama cômica que mistura ficção e realidade, onde os dois amigos têm que enfrentar a cobiça de uma espiã portuguesa (Izabella Bicalho), que se alia ao Padre Maximiliano (Tadeu Aguiar), interessados no projeto de um dirigível, criado por Patrocínio. O elenco é formado ainda por Alice Borges, Reiner Tenente, Jefferson Almeida, Saulo Segreto e Gustavo Klein.

Para acompanhar as aventuras dos personagens pelas ruas do Rio e por cenários clássicos da cidade, como a Confeitaria Colombo, Nei Lopes compôs xotes, valsas, lundus, quadrilhas francesas, maxixes, fados, modinhas e até ária de ópera. Ele atendeu a um convite do próprio Ruy Castro e teve como base o texto da peça e uma sinopse das músicas escrita pelas autoras.

**

FICHA TÉCNICA
Baseado no livro ‘Bilac Vê Estrelas’, de Ruy Castro
Autoras: Heloisa Seixas e Julia Romeu
Música e letras de Nei Lopes
Diretor: João Fonseca
Diretor musical: Luís Filipe de Lima
Elenco: André Dias, Izabella Bicalho, Tadeu Aguiar, Alice Borges, Sergio Menezes, Reiner Tenente, Jefferson Almeida, Saulo Segreto e Gustavo Klein
Músicos: Daniel Sanches, Oscar Bolão
Cenógrafo: Nello Marrese
Figurinista: Carol Lobato
Coreógrafa: Sueli Guerra
Iluminadora: Daniela Sanchez
Sound Designer: Carlos Esteves
Projeto Gráfico: Radiográfico
Assistentes de produção: Luiza Toré e Isabela Reis
Produtora Executiva: Juliana Cabral
Diretora de produção: Amanda Menezes
Coordenação geral: Maria Angela Menezes
Produção: Tema Eventos Culturais

 

SERVIÇO
‘BILAC VÊ ESTRELAS’
Estreia: 08 de janeiro (quinta)
Temporada: até 22 de fevereiro
Horários: Sexta a domingo, às 19h
Local: SESC Ginástico
Endereço: Av. Graça Aranha, 187 – Centro – Rio de Janeiro / RJ
Telefone: (21) 2279-4027

 

Apresentações extras: sábados 24/1, 31/1, 7/2 e 21/2 às 16h
OBS: Não haverá apresentações nos dias 14, 15 e 16/2 em função do carnaval
Horário de funcionamento da bilheteria: de terça a domingo, das 13h às 20h

 

6 ideias sobre “‘BILAC VÊ ESTRELAS’ – Teatro Sesc-Ginástico – Estréia, quinta-feira, 8 de janeiro

    • Segundo informações no site do SESC Ginástico, a peça estreia na quinta, dia 08/01 e ficará em cartaz de quinta a domingo.

  1. Esse Nei vai ‘Pela Sombra’, ‘Firme e Forte’.
    ‘Te Segura’, que o Mais-Velho é ‘Número Baixo’

  2. Jorge Marco, as letras estão no programa distribuído no Teatro. E os “nomes” das canções são apenas indicativos das cenas: “Sassaricos na porta da Colombo”; “O desastre de Bilac”; “O balão” etc.
    E, por enquanto, não há como ouví-las a não ser em cena.

  3. Prezado Nei,
    Sobre BILAC VÊ ESTRELAS, com ouvido aguçado e sensível, Macksen Luiz tocou no ponto certo: BILAC DE LETRAS E MÚSICAS IRRETOCÁVEIS. Adaptação de livro de Ruy Castro se destaca pela qualidade do trabalho de Nei Lopes.
    E então me pergunto pelos críticos literários que até agora não se pronunciaram sobre Poétnica ─ seu livro de poesias, editado pela Mórula em 2014 ─ trabalho igualmente irretocável no universo da poesia: conjunto de poemas que inauguram diretrizes poéticas na literatura contemporânea sob vários aspectos, incluindo o rítmico e o imagístico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *