POR ONDE ANDARÁ MARIA RITA?

O Partido Muito Alto de Wilson Moreira & Nei Lopes - 1985

A cantora Maria Rita, está lançando um CD de sambas. E esse lançamento é motivo de uma reportagem hoje no Estadão (Jornal O Estado de São Paulo) onde se lê o seguinte:

“O samba é a paixão da minha vida, só Deus entende. Mas não é um Samba Meu 2. É tudo diferente, a sonoridade, a banda e o meu momento”, salienta Rita. A cantora conta ter procurado refletir nas fotos do encarte do álbum o estado de espírito que o ritmo lhe traz. Mas, fugindo do lugar comum, sem que ela segure pandeiro ou tamborim. Uma batalha que ela pretende travar a partir de agora. “O samba tem que ser menos caricato. Pode ser algo tratado, bonito. Por que, para fazer samba, você precisa estar sentado em um boteco batucando com uma roupa qualquer nota? Quem disse que precisa ser assim?”.

Vejam: O samba volta a pulsar com Maria Rita; ouça disco na íntegra

Lendo isso, me ocorre o trecho de um samba de Luiz Grande, gravado pelo João Nogueira: “Por onde andará Maria Rita (…) É que eu preciso saber onde anda essa pequena…”

Maria Rita, coitada, está perdidinha da silva (ou na selva): ouviu o galo cantar e não sabe onde…

5 ideias sobre “POR ONDE ANDARÁ MARIA RITA?

  1. Que tal uma capa com com uma praça de Viena ou um jardim de Salzburgo, talvez, ainda uma foto da porta bandeira da Escola de Samba
    Acadêmicos de Helsinque. “O samba tem que ser menos caricato. Pode
    ser algo tratado, bonito.” Então tá.

    Abraços
    Renê Ruas

  2. POIS É, MEUS AMIGOS! É MAIS UMA “CATEDRÁTICA” QUE CHEGA DEITANDO REGRAS PARA O SAMBA. ENTÃO, FABIANA COZZA, TEREZA CRISTINA, ANA COSTA, NILZE CARVALHO etc. não são nem um pouquinho elegantes, não é mesmo? Ora, ora, ora …

    • Cantar samba, qualquer uma com sobrenome canta … quero ver interpretar samba, quero ver cantar Baden né Fabiana??, quero ver tocar cavaquinho né Nilze?? quero ver sambar né Mariene de Castro ???
      … samba caricato??? o que seria??? menos negro, menos pobre, mais elitizado, mais europeu… ah vá, instituir isso lá na Europa
      E na parte final da entrevista “a catedrática” diz que não existe cantora como ela no país, se existe ela não conhece, que permaneça assim… “ora, ora, ora”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *