INCLUSÃO CENOGRÁFICA E FALTA DE EDUCAÇÃO

INCLUSÃO CENOGRÁFICA E FALTA DE EDUCAÇÃO

A desconfortável situação dos afrodescendentes na sociedade brasileira, todos sabemos, é fruto de um trabalho muito bem articulado.

Quando em 1911 o antropólogo físico João Batista de Lacerda – daquele tipo de cientista que punha as “raças” no microscópio para examiná-las do ponto de vista de suas “taras” e “deformidades congênitas” –, sendo diretor do Museu Nacional, anunciou em Londres que em cem anos, com a mestiçagem, a população negra teria desaparecido no Brasil , ele verbalizava um anseio do Estado brasileiro de então.

http://www.fflch.usp.br/sociologia/asag/Batista%20Lacerda.pdf

Felizmente, essa perspectiva se frustrou; e o Estado, orientado noutro sentido, teve que incorporar à sua agenda política as reivindicações trabalhadas pelas entidades do movimento negro, o que foi tomando vulto a partir de 1988. Veja mais